CGU e PF participam da Operação Estoque Zero no Maranhão e Piauí

Empresa contratada pela Secretaria de Saúde de Pinheiro, no Maranhão, deixou de entregar 6 mil testes rápidos de covid-19, no valor total de R$960 mil.

audio/mpeg 02-03-21 - É NOTÍCIA - OPERAÇÃO ESTOQUE ZERO - 1m26s.mp3 — 1249 KB

Duração: 1m26s




Transcrição

A Controladoria-Geral da União e a Polícia Federal participam, nesta terça-feira, no Maranhão e no Piauí, da Operação Estoque Zero, para combater esquema criminoso de desvio de recursos públicos do combate à pandemia da covid-19.

A empresa contratada, de duvidosa capacidade técnica e operacional pela Secretaria de Saúde de Pinheiro, no Maranhão, teria que fornecer seis mil testes rápidos de covid-19, no valor total de 960 mil reais.

Há fortes indícios de que nenhum teste foi entregue ao município. A nota fiscal de venda dos seis mil testes foi identificada e feito o pagamento parcial de R$320 mil.

Além de Pinheiro, a empresa de fachada teria vendido 17 mil e 500 testes para outros três municípios nos estados do Maranhão, também no Piauí e no Ceará, pelo valor total de um milhão e 75 mil reais, sem nunca ter entregue os produtos.

O município de Pinheiro recebeu em 2020 quase 50 milhões de reais pelo Fundo Nacional de Saúde. Desse valor, mais de 20 milhões foram destinados especificamente para ações de prevenção e combate à pandemia do novo coronavírus.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, Luciano Barroso.