Ministro dos Direitos Humanos quer tornar mais rápida a solução da morte da vereadora Marielle Franco

O ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, quer tornar mais rápida a solução da morte da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, assassinada em março. De acordo com o ministro, “a elucidação do caso é importante não apenas para a família, como para o Estado brasileiro, como garantia que essa violência não torne a se repetir”.

audio/mpeg 03-09-18 - ROSAMELIA DE ABREU - CASO MARIELE.mp3 — 1889 KB

Duração: 1m01s




Transcrição

O ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, quer tornar mais rápida a solução da morte da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, assassinada em março. 

 

De acordo com o ministro, “a elucidação do caso é importante não apenas para a família, como para o Estado brasileiro, como garantia que essa violência não torne a se repetir”.

 

Na última sexta-feira, ele recebeu a viúva da parlamentar, Mônica Benício, e ofereceu proteção, por meio do Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos.

Atualmente, cerca de 577 pessoas são atendidas pelo programa. 

Neste ano, mais de 11 milhões e 700 mil reais do orçamento da União serão investidos em ações de proteção a pessoas que são vítimas de ameaças por atuarem em defesa dos Direitos Humanos.