Banco Central aprova novas funcionalidades para ampliar os casos de uso do Pix

Entre as novidades, estão o Pix Cobrança e a integração aos usuários recebedores, como estabelecimentos comerciais e empresas, por meio da API Pix

audio/mpeg 03-11-2020_BOLETIM_PIX COBRANÇA.mp3 — 2196 KB

Duração: 1m34s




Transcrição

O Banco Central aprovou novas funcionalidades para ampliar os casos de uso do Pix, o pagamento instantâneo brasileiro

 

Entre as novidades, estão o Pix Cobrança e a integração aos usuários recebedores, como estabelecimentos comerciais e empresas, por meio da API Pix.

 

No Pix Cobrança, os lojistas, fornecedores, prestadores de serviço e demais empreendedores poderão emitir um QR Code para realizar pagamentos imediatos, em pontos de venda ou comércio eletrônico, por exemplo, ou cobranças com vencimento em data futura. 

 

 

Neste caso, é possível configurar outras informações além do valor, como juros, multa e descontos. É uma funcionalidade parecida com o que ocorre hoje com boleto.

 

O envio de pagamentos é gratuito e ilimitado para as todas as pessoas físicas, empresários individuais e MIcroempreendedores Individuais - MEI’s.

 

Os correntistas que adotarem o Pix para fins comerciais, poderão ser tarifados no recebimento da transação. São dois os critérios que configuram a atividade comercial e, portanto, passíveis de tarifação: Recebimento da transferência por QR Code Dinâmico; e Recebimento de mais de trinta transações com Pix no mês, por conta. Neste caso, a tarifa pode ser praticada a partir da trigésima- primeira transação.

 

Outras informações no site bcb.gov.br