PF adquire novo sistema de registro de impressões digitais

Chamado Abis, o novo sistema permite o cruzamento de dados, consultas de impressões digitais e o reconhecimento facial. Com ele, a Polícia Federal poderá unificar o banco de dados compartilhado com as secretarias estaduais de Segurança.

audio/mpeg 07-07-21 - É NOTICIA SISTEMA ABIS.mp3 — 1053 KB

Duração: 1min29seg




Transcrição

A Polícia Federal vai usar um novo sistema de armazenamento de impressões digitais e identificação biométrica.

 

O contrato para aquisição do Abis, Solução Automatizada de Identificação Biométrica, foi assinado nesta quarta-feira, dia 7.

 

O novo sistema vai entrar em funcionamento tendo um banco de dados com cerca de 22 milhões de cadastros provenientes do Afis, Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais.

 

Usado há mais de 16 anos, o antigo sistema será descomissionado, e é referência internacional na identificação de digitais, seja para elucidar a autoria de crimes ou para encontrar pessoas desaparecidas.

 

A atualização digital, com a compra do Abis, tem o objetivo de unificar o banco de impressões digitais que compartilha os dados já existentes entre as secretarias estaduais de Segurança Pública em parceria com a Polícia Federal e o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

O sistema Abis oferece, com exatidão, o cruzamento de dados, consultas de impressões digitais e o reconhecimento facial. A capacidade inicial é de 50,2 milhões de cadastros únicos, mas pode ser expandida para até 200 milhões.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Adalto Gouveia.