Operação Desvia investiga fraudes em licitações em MG

Objetivo é combater a prática de crimes de corrupção e de desvio de recursos públicos federais na contratação de obras para a construção de Unidades Básicas de Saúde em Barbacena (MG)

audio/mpeg 09-07-19 - ROSAMELIA - OPERACAO PF MG - ATE 09-07.mp3 — 1903 KB

Duração: 2m01s




Transcrição

A Controladoria-Geral da União (CGU) participa, nesta terça-feira (9), da terceira fase da Operação Desvia.

 

O trabalho, realizado em parceria com a Polícia Federal e a Receita Federal , tem por objetivo combater a prática de crimes de fraude em licitação, de corrupção e de desvio de recursos públicos federais na contratação de obras para a construção de Unidades Básicas de Saúde em Barbacena Minas Gerais, durante os anos de 2013 e 2016.

 

As investigações tiveram início com trabalho do Departamento de Polícia Federal, que identificou indícios de irregularidades na execução de cinco obras referentes a construção, ampliação e reforma de Unidades Básicas de Saúde (UBS), e foram seguidas de apuração conjunta com a CGU e a Receita Federal.

 

As apurações apontaram que o município de Barbacena celebrou o Contrato com a construtora investigada, que deveria ter construído Unidades Básicas de Saúde em Pinheiro Grosso e Torres, as as obras permanecem inacabadas e abandonadas.

 

O valor do Contrato era de R$ 2 milhões 708 mil reais após reajuste de 16% aprovado em agosto de 2016.

 

De acordo com as apurações, apesar de o Governo Federal ter repassado R$ 1 milhão 651 mil reais, cerca de 70% do total previsto para a construção das cinco unidades, as obras apresentam, em média, apenas 36% de execução.

 

Se forem condenados, os investigados poderão cumprir até 28 anos de reclusão.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, Rosamélia de Abreu