Bolsonaro, defende mais uma vez, mudança na cobrança do ICMS nos combustíveis

Para o presidente Jair Bolsonaro, o tributo deveria ser calculado sobre o valor vendido nas refinarias e não nos postos de combustíveis.

audio/mpeg 10-01-20 - DILSON SANTA FE - ICMS COMBUSTIVEL.mp3 — 860 KB

Duração: 0:55s




Transcrição

O presidente Jair Bolsonaro defendeu mais uma vez, nessa quinta-feira, uma mudança na forma de cobrança do ICMS, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, sobre os combustíveis.

 

Segundo ele, o tributo deveria ser calculado sobre o valor vendido nas refinarias e não nos postos de combustíveis.

 

O ICMS é um tributo estadual que varia de 25 a 34 por cento, no caso da gasolina, sobre o valor do litro vendido nos postos. A alíquota de ICMS sobre o diesel varia de 12 a 25 por cento, e sobre o etanol, de 12 a 34 por cento, segundo a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes.

 

Bolsonaro disse que pretende fazer com que o ICMS seja cobrado do preço do combustível na refinaria e não no final, na bomba de gasolina.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé