ICMBIO vai contratar aeronaves para combate a incêndios florestais

Serão 16 aviões para combate direto às queimadas e até 8 helicópteros para apoio logístico aos brigadistas. O objetivo da contratação é apoiar as equipes de solo em ocorrências dentro do período de emergência ambiental da temporada da seca.

audio/mpeg 10-06-2021_BOLETIM_ AERONAVES PARA COMBATE AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS.mp3 — 3075 KB

Duração: 2m11s




Transcrição

O ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, lançou licitação para a contratação de aviões e helicópteros a serem empregados no combate a incêndios florestais em unidades de conservação federais e sua vizinhança, com investimento em torno de R$ 115 milhões de reais.

Serão 16 aviões para combate direto às queimadas e até 8 helicópteros para apoio logístico aos brigadistas. O objetivo da contratação é apoiar as equipes de solo em ocorrências dentro do período de emergência ambiental da temporada da seca.

Com 500 horas de voo, os aviões no modelo Air Tractor têm capacidade de lançar até 2.500 litros de água por viagem. Eles serão distribuídos entre as bases de Cuiabá, Brasília, Distrito Federal, Santana do Riacho, em Minas Gerais, e Lençóis, na Bahia e poderão ser utilizados para reforçar o combate ao fogo em qualquer outra área do território nacional. Serão adquiridos 60% mais aeronaves desse tipo do que as compradas no ano passado.

Já os helicópteros serão distribuídos entre as bases de Brasília e Belo Horizonte e contarão com 420 horas de voo.
Os helicópteres alcançam áreas de difícil acesso e podem deslocar servidores e cargas com maior agilidade e também fazer o monitoramento aéreo das áreas protegidas.

Os aviões Air Tractors fazem lançamentos de água, que podem combater os incêndios diretamente, ou apenas amenizar a intensidade do calor e a altura das chamas, para conter o avanço das linhas de fogo e permitir a ação dos combatentes em solo com mais efetividade.

A medida faz parte das ações para prevenção e combate a incêndios florestais que vêm sendo realizadas pelo ICMBio em vista da seca sazonal. O instituto também está treinando brigadistas, fazendo queimas controladas, comprando veículos e fez a contratação de mais de 130 brigadistas para a Brigada Pronto Emprego.

A brigada pode ser acionada em situações de emergência para operar em todos os biomas do Brasil e tem mais de mil brigadistas para atuação local.

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília