Definido o modelo para a primeira desestatização portuária do país

O leilão da Companhia Docas do Espírito Santo deve gerar investimentos de R$1 bilhão.

audio/mpeg 10-06-2021_BOLETIM_ PRIVATIZAÇÃO CODESA.mp3 — 1514 KB

Duração: 1m04s




Transcrição

O governo federal definiu o modelo para a primeira desestatização portuária do Brasil que será da Codesa, Companhia Docas do Espírito Santo. A expectativa é que o leilão gere investimentos de R$ 1 bilhão de reais.

Assinada pelos ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e da Economia, Paulo Guedes, a resolução que prevê o processo se dará “mediante a alienação da totalidade das ações detidas pela União no capital social da companhia”, responsável pela administração Portos Organizados de Vitória e Barra do Riacho no Espírito Santo.

O contrato de concessão terá vigência de 35 anos, prorrogável por mais cinco anos, a critério do poder concedente e por uma única vez. A concessão abrange a administração do porto e a exploração indireta das instalações dos Portos de Vitória e Barra do Riacho.

Antes da assinatura do contrato de concessão, a empresa vencedora terá que pagar o valor ofertado no leilão.

Da Rede Nacional De Rádio em Brasília