Dois hospitais universitários vão participar dos testes da vacinação chinesa contra a covid 19

Inicialmente, a vacina será testada em aproximadamente nove mil profissionais da saúde que estão lidando diretamente com o enfrentamento à pandemia, com maior exposição ao coronavírus

audio/mpeg 10-07-2020_BOLETIM_HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS TESTES VACINA CONTRA COVID 19.mp3 — 1930 KB

Duração: 1m21s




Transcrição

O Hospital Universitário de Brasília e o Complexo Hospital das Clínicas, em Curitiba, vão participar da terceira fase de testes de uma vacina produzida na China contra a Covid-19.

 

Essa pesquisa é coordenada no Brasil pelo Instituto Butantan. 

 

Esses hospitais vão fazer  parte de 12 centros de pesquisa brasileiros responsáveis por testar, em larga escala, a segurança e eficácia do produto, chamado inicialmente de CoronaVac.

 

 

Inicialmente, a vacina será testada em aproximadamente nove mil profissionais da saúde que estão lidando diretamente com o enfrentamento à pandemia, com maior exposição ao coronavírus. 

 

A parceria internacional entre Brasil e China também prevê a troca de conhecimento e tecnologia para a produção em larga escala por meio do Instituto Butantan e Sinovac, empresa chinesa responsável pela pesquisa internacional. 

 

Nas duas primeiras fases, o laboratório chinês testou a vacina em aproximadamente mil voluntários chineses.  Aplicada em animais, a vacina se mostrou promissora.

 

De acordo com a pesquisadora Sônia Raboni, coordenadora da pesquisa no Complexo Hospital das Clínicas, em Curitiba, os resultados dos testes no Brasil devem sair entre o final deste ano e janeiro de 2021.