ICMBIO usará técnica inédita de queima controlada no Pantanal

A técnica inédita para o bioma será executada em uma unidade do estado de Mato Grosso e em duas regiões de Mato Grosso do Sul: a Reserva Particular do Patrimônio Natural de propriedade do Serviço Social do Comércio Sesc Pantanal, no município de Corumbá, e a Terra Indígena Kadiwéu.

audio/mpeg 11-06-2021_ BOLETIM_COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS PROJETO REDE PANTANAL.mp3 — 2978 KB

Duração: 2m07s




Transcrição

Nos meses de julho, setembro e novembro deste ano, o Pantanal vai receber, pela primeira vez, ações de prevenção a incêndios florestais pelo Manejo Integrado do Fogo.

O ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, vai estar na linha de frente do projeto Rede Pantanal, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações promovendo ações de queima controlada.

A técnica inédita para o bioma será executada em uma unidade do estado de Mato Grosso e em duas regiões de Mato Grosso do Sul: a Reserva Particular do Patrimônio Natural de propriedade do Serviço Social do Comércio Sesc Pantanal, no município de Corumbá, e a Terra Indígena Kadiwéu.

Para a seleção das áreas, foram consideradas a flora e os níveis de inundação locais.

O ICMBio, além de participar do Rede Pantanal com os próprios servidores, tem atuado na capacitação dos brigadistas e servidores.

Além disso, o órgão vai orientar e coordenar as ações de queima controlada, monitoramento e a avaliação de quatro parcelas das três unidades escolhidas para o projeto-piloto.

A cada mês — julho, antes da seca; setembro, durante a seca; e novembro, início da cheia - três parcelas serão queimadas e uma não, para que possam ser comparadas.

As técnicas do Manejo Integrado do Fogo simulam a queima natural, eliminando material combustível sobre o solo com o uso de equipamentos específicos, que direcionam pequenos focos de fogo controlado no terreno.

A medida faz parte das ações para prevenção e combate a incêndios florestais que vêm sendo realizadas pelo ICMBio em vista da seca sazonal. Além disso, o instituto também tem treinado brigadistas, adquirido viaturas e aeronaves. E foram contratados mais de 130 brigadistas para a Brigada Pronto Emprego, formada para acionamento imediato para operar em todos os biomas do Brasil, além de mais de mil brigadistas para atuação local.


Da Rede Nacional de Rádio em Brasília