Programa Vigia recebe reforços de cães farejadores na realização de operações de combate ao crime organizado nas fronteiras

Os animais vão ajudar a ampliar as ações dos policiais numa busca mais pontual de drogas e produtos contrabandeados

audio/mpeg 13-01-2021_BOLETIM_PROGRAMA VIGIA.mp3 — 1666 KB

Duração: 1m02s




Transcrição

A base integrada do Programa Vigia do Ministério da Justiça e Segurança Pública, na cidade de Querência do Norte, no Paraná, recebe reforços de cães farejadores na realização de operações de combate ao crime organizado nas fronteiras. 

 

 

Os animais vão ajudar a ampliar as ações dos policiais numa busca mais pontual de drogas e produtos contrabandeados.

 

 

A base foi escolhida para abrigar o projeto-piloto com cães devido ao movimento diário de balsas em Porto Felício, que fica a 30 km de distância do município. 

 

Os animais têm grande importância nesse tipo de operação por indicarem, com maior precisão, o local de armazenamento do entorpecente e, também, por ajudarem na vistoria mais detalhada de veículos. 

 

 

Inicialmente, o programa vai contar com dois cães que pertencem às instituições de segurança pública do Paraná. O objetivo é estender a operação com os farejadores para todo o Brasil.

 

 

De acordo com o integrante da Secretaria de Operações Integradas , tenente-coronel Saulo Sanson, a ideia é que todas as unidades do Vigia recebam canis e toda a estrutura necessária para os animais. 

 

Em uma segunda fase, o programa irá adquirir cães para serem treinados e nivelados para auxiliarem as operações em todas as bases do Vigia.

 

O programa foi lançado como objetivo de reduzir a vitalidade financeira das organizações criminosas, impedindo a entrada de armas, drogas, cigarros e produtos contrabandeados. pelas áreas de fronteira do país.