Ministra da Agricultura diz que produtos mais processados enfrentam maiores barreiras

Tereza Cristina enfatizou que infelizmente, na agricultura ainda persistem restrições significativas ao comércio exterior, na forma de tarifas, subsídios e toda a sorte de barreiras não tarifárias.

audio/mpeg 13-03-19 - SUZETTE CALDERON - TEREZA CRISTINA AGRICULTURA - VAL 15-03.mp3 — 1343 KB

Duração: 1:25s




Transcrição

A ministra Tereza Cristina da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, afirmou em palestra sobre segurança alimentar e meio ambiente no Congresso realizado durante a Anufood, em São Paulo, nesta terça-feira dia 12 de março, que restrições ao comércio internacional conflitam com interesses ambientais, “já que a maior parte da população mundial se concentra em regiões do planeta onde recursos naturais estão se exaurindo”.

 

Tereza Cristina enfatizou que “infelizmente, na agricultura ainda persistem restrições significativas ao comércio exterior, na forma de tarifas, subsídios e toda a sorte de barreiras não tarifárias”. E lembrou que “no caso da pauta exportadora do Brasil, produtos básicos como soja, milho, café verde, celulose e algodão circulam com facilidade no mundo”. Mas, que “produtos mais processados, como óleo de soja, açúcar, etanol, carnes, laticínios, papel e café solúvel enfrentam maiores barreiras.

 

Além de divulgar dados de preservação de 66,3% das matas nativas do país, “que se mantém intocáveis”, a ministra lembrou o compromisso brasileiro de reduzir em 40% suas emissões de carbono até 2030, “sendo que 80% desses compromissos estão ancorados da agricultura”.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Suzette Calderon