Ribeirinhos vão contar com novas Unidades Básicas de Saúde Fluviais

Quatro municípios serão contemplados com as embarcações que comportam a estrutura para atendimentos básicos de saúde. São eles: Caaparinga, Ipixuna e Manicoré, no Amazonas, e São Domingos do Capim, no Pará. Já os municípios Manicoré e Tabatinga , no Amazonas, e Juruti e Santo Antônio do Tauá, no Pará, vão receber incentivo para equipes de Saúde da Família Ribeirinha, Unidades de Apoio Ribeirinha e embarcações.

audio/mpeg 13-09-2021_BOLETIM_SAÚDE POPULAÇÃO RIBEIRINHA DO AM E PA.mp3 — 2618 KB

Duração: 1m51s




Transcrição

Os moradores das comunidades ribeirinhas do Amazonas e do Pará passam a contar com novas Unidades Básicas de Saúde Fluviais e reforço para as que já existem.

 

O objetivo é garantir o acesso igualitário à rede pública e garantir o atendimento em locais de difícil acesso do país.

 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou no final de semana uma das unidades fluviais, na comunidade Bela Vista do Jaquiri, que só é possível acessar percorrendo um trajeto de duas horas de barco.

 

Nesses municípios, na maioria das vezes, a única forma de acesso é via fluvial, inclusive para equipes de profissionais de saúde. O desafio é garantir atendimento de qualidade mesmo com uma estrutura diferente do convencional.

 

O custeio mensal de cada Unidade Básica de Saúde Fluvial é de R$ 90 mil reais. Ao todo, fazem parte da nova estrutura entregue pela pasta: 15 embarcações, 12 unidades de apoio e 75 profissionais de saúde, entre agentes comunitários, auxiliares ou técnicos de enfermagem, auxiliares ou técnicos de saúde bucal, médicos e cirurgiões-dentistas.

 

Quatro municípios serão contemplados com as embarcações que comportam a estrutura para atendimentos básicos de saúde. São eles: Caaparinga, Ipixuna e Manicoré, no Amazonas, e São Domingos do Capim, no Pará.

 

Já os municípios Manicoré e Tabatinga , no Amazonas, e Juruti e Santo Antônio do Tauá, no Pará, vão receber incentivo para equipes de Saúde da Família Ribeirinha, Unidades de Apoio Ribeirinha e embarcações.

 

Em 2021, o Ministério da Saúde repassou mais de R$ 56 milhões de reais para equipes de saúde da família fluvial e família ribeirinha.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília