Pirarucu de manejo recebe Indicação Geográfica

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial, publicou nesta terça-feira (13) o registro da Indicação Geográfica na espécie Denominação de Origem Mamirauá para o produto pirarucu manejado.

audio/mpeg 14-07-2021_BOLETIM_PIRARUCU INDICAÇÃO GEOGRÁFICA(1).mp3 — 2201 KB

Duração: 1m34s




Transcrição

O pirarucu de manejo recebeu Indicação Geográfica abrangendo nove municípios do Amazonas.

O Inpi, Instituto Nacional da Propriedade Industrial, publicou nesta terça-feira (13) o registro da Indicação Geográfica na espécie Denominação de Origem Mamirauá para o produto pirarucu manejado.

O pedido de registro junto ao Inpi foi feito pela Federação dos Manejadores e Manejadoras de Pirarucu de Mamirauá.

Nove municípios do Amazonas são abrangidos com a Indicação Geográfica: Alvarães, Fonte Boa, Japurá, Juruá, Jutaí, Maraã, Tefé, Tonantins e Uarini.

Segundo o Inpi, “a captura do pirarucu envolve um saber-fazer específico, que se reflete nas características da carne do animal, impactando na qualidade final do produto”.

Esta é a quinta Indicação Geográfica reconhecida do estado do Amazonas. As outras já reconhecidas são a de peixes ornamentais do Rio Negro; o guaraná de Maués; a farinha de mandioca de Uarini; o guaraná e o bastão de guaraná da Terra Indígena Andirá-Marau.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento apoiou o processo de reconhecimento desde fevereiro de 2018, através da Coordenação de Indicação Geográfica de Produtos Agropecuários e da Superintendência Federal de Agricultura no Amazonas.


Da Rede Nacional de Rádio em Brasília