Quadrilha é investigada por fraudes no seguro-defeso

Prejuízo estimado é de R$ 850 mil, com o pagamento indevido de 35 benefícios, mas investigações apontam que a quantia pode chegar a R$ 34 milhões, com o pagamento de 1,5 mil benefícios fraudados.

audio/mpeg 14-09-2021 - E NOTICA ADALTO GOUVEIA OPERAÇÃO POLICIA FEDERAL.mp3 — 1158 KB

Duração: 1m14s




Transcrição

Uma operação da Polícia Federal investiga fraudes em benefícios do seguro-defeso.

60 policiais federais cumprem oito mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Goiás, Minas Gerais e no Distrito Federal.

Durante as investigações, a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Ministério do Trabalho e Previdência identificou uma associação criminosa, que tinha participação de representantes de colônias de pescadores. Os criminosos fraudavam requerimentos de seguro-defeso há mais de cinco anos.

O prejuízo estimado é de 850 mil reais, com o pagamento indevido de 35 benefícios.

As investigações indicam que a quantia pode chegar a 34 milhões de reais, com o pagamento de mil e 500 benefícios fraudados.

O seguro-defeso é pago pelo INSS, o  Instituto Nacional de Seguro Social, a pescadores profissionais artesanais durante o período de defeso, quando a pesca fica suspensa para proteger os cardumes.

Com informações da Agência Brasil,

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília,

Adalto Gouveia