Milho Guarani compõe cardápio alimentar de escolas indígenas em São Paulo

Os produtores e parceiros do projeto, entre eles a Funai e a Secretaria Municipal de Educação, dispõem de diversos produtos agroecológicos cultivados pelos indígenas nas aldeias Rio Branco e Aguapéu.

audio/mpeg 16-02-21 - É NOTÍCIA - MILHO GUARANI - 43s - MÁRCIA DIAS.mp3 — 550 KB

Duração: 43s




Transcrição

O milho Guarani compõe cardápio alimentar das escolas indígenas de Itanhaém, em São Paulo.

 

Os produtores e parceiros do projeto, entre eles a Funai e a Secretaria Municipal de Educação, dispõem de diversos produtos agroecológicos cultivados pelos indígenas nas aldeias Rio Branco e Aguapéu.

 

Nas escolas, o milho guarani e seus derivados como a pamonha, o beiju e o bolo são consumidos durante toda a semana e, uma vez que se constitui um alimento sagrado, ele também é levado para o consumo familiar.

 

Um dos alimentos preparados com farinha de milho e água, assado nas cinzas de uma fogueira só pode ser feito com sementes de milho guarani, qualquer que seja o cultivar disponível.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, Márcia Dias.