CoronaVac: Anvisa faz nova reunião para discutir uso de 3 a 17 anos

Esta foi mais uma etapa na análise do pedido feito pelo Instituto Butantan, que também é fabricante da CoronaVac no Brasil

audio/mpeg 17-01-22 - E NOTICIA - CORONAVAC.mp3 — 1341 KB

Duração: 1m25s




Transcrição

Técnicos da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e do Instituto Butantan se reuniram novamente nesta segunda-feira (17) para avaliar o uso da vacina CoronaVac em crianças e adolescente de 3 a 17 anos.

Esta foi mais uma etapa na análise do pedido feito pelo Instituto Butantan, que também é fabricante da CoronaVac aqui no Brasil.

Em nota divulgada após a reunião, a Anvisa esclareceu que os dados apresentados pelo Instituto Butantan continuam em análise, e que na reunião dessa segunda foram definidas as novas fases da avaliação. O texto não traz informações sobre o prazo final para conclusão da análise.

A decisão sobre o uso emergencial da CoronaVac por crianças e adolescentes de 3 a 17 anos será tomada pela Diretoria Colegiada da Anvisa, com base em relatórios apresentados pela Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos e pela Gerência de Farmacovigilância da agência.

Depois de analisar os relatórios, cada diretor da Anvisa vota pela aprovação ou não do uso emergencial. Para que o uso seja aprovado, deve haver maioria simples de votos.

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Ana Pimenta