Mutirão leva atendimento em saúde a indígenas do extremo norte do Amazonas

A missão, coordenada pelos Ministérios da Saúde e Defesa, será na região do Vale do Javari, segunda maior área indígena do Brasil

audio/mpeg 18-06-2020_BOLETIM_SAÚDE INDÍGENA.mp3 — 2836 KB

Duração: 2m




Transcrição

O Governo do Brasil realiza mais um mutirão para atendimento em saúde da população indígena na região do extremo norte do Amazonas. 

 

 

Desta vez, a missão, coordenada pelos Ministérios da Saúde e Defesa, será na região do Vale do Javari, segunda maior área indígena do Brasil, que compreende grande parte do município de Atalaia do Norte , no Amazonas. 

 

A região possui uma população de aproximadamente 7 mil indígenas de 7 etnias. 

 

 

A iniciativa leva profissionais de saúde e cerca de 70 mil itens de proteção individual e insumos médicos para reforçar a assistência à saúde na região e o enfrentamento à Covid-19 entre os indígenas do Vale do Javari.

 

 

 

A viagem teve início nesta quarta-feira  partindo de Brasília. Ao todo, 23 profissionais de saúde do Hospital das Forças Armadas irão reforçar o atendimento aos indígenas na região junto às Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, que já atendem a população local. 

 

Entre eles estão um médico obstetra, um endocrinologista, um cirurgião geral, um ginecologista, um gastroenterologista, um anestesista, seis médicos clínicos, oito técnicos em enfermagem e três enfermeiros. 

 

A missão tem previsão de retorno na próxima segunda-feira (21).

 

 

Também serão entregues 16 ventiladores pulmonares e testes rápidos para diagnóstico da Covid-19. 

 

Os insumos e equipamentos serão destinados ao Hospital Municipal de Atalaia do Norte, unidade que é referência de atendimento em toda a região do Vale do Javari, e ao Distrito Sanitário Especial Indígena Vale do Javari, para atendimento nas aldeias.

 

 

Como medida de segurança dos povos indígenas, toda a equipe que compõe a missão realizou teste para Covid-19. Todos os profissionais que embarcaram tiveram resultado negativo para a doença.