Força-tarefa prende 6 pessoas que fraudavam benefícios BPC/LOAS

A Operação Apólogo teve a participação de 20 policiais federais e um servidor do Ministério do Trabalho e Previdência. O nome é uma alusão à criação de pessoas fictícias como titulares de benefícios.

audio/mpeg 19-08-20 - É NOTICIA - ADALTO GOLVEA - OPERAÇÃO FRAUDE EM BENEFICIOS.mp3 — 1522 KB

Duração: 1m37s




Transcrição

 

A Força-tarefa Previdenciária e Trabalhista prendeu, nesta quinta-feira (19), seis pessoas envolvidas na fraude de 54 benefícios assistenciais na Bahia. Foram cumpridos, ainda, seis mandados de busca e apreensão nas cidades de Amargosa e Milagres.

A fraude consistia na criação de pessoas fictícias, usando documentos falsos de pessoas recrutadas para requerer os benefícios assistenciais ao idoso, o BPC/LOAS.

A operação teve a participação de 20 policiais federais e um servidor do Ministério do Trabalho e Previdência. E recebeu o nome de Apólogo em alusão à criação de pessoas fictícias como titulares de benefícios.

De acordo com as investigações, os criminosos têm conexão com outro grupo descoberto pela Polícia Federal em dezembro de 2020, na região de Jeremoabo, também na Bahia, que foi alvo da Operação Cucurbitum.

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, o prejuízo estimado com os 54 benefícios suspeitos é de R$ 4,9 milhões.

Os envolvidos responderão por diversos crimes: organização criminosa, estelionato previdenciário, falsificação de documento público e uso de documento falso. As penas, se somadas, podem chegar a mais de 25 anos de prisão.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Adalto Gouveia