Brasil avança na imunização com a dose de reforço e dose adicional

Já são 30 milhões de pessoas que completaram essa etapa da vacinação em todo o país.

audio/mpeg 21-01-2022 - E NOTICIA - DOSE REFORCO.mp3 — 1219 KB

Duração: 1m18s




Transcrição

Com quase 85% da população-alvo vacinada com as duas doses de vacinas Covid-19, o Brasil avança na imunização com a dose de reforço e dose adicional. Já são 30 milhões de pessoas que completaram essa etapa da vacinação em todo o país.

 

 

No caso da dose de reforço, a imunização deverá ser administrada quatro meses após a última dose do esquema vacinal primário dos imunizantes Pfizer, Astrazeneca e Coronavac. 

 

A dose adicional, para pessoas imunossuprimidas, deve ser aplicada pelo menos 28 dias após a segunda dose ou dose única.

 

A vacina usada como reforço deve ser, preferencialmente, da plataforma de RNA mensageiro da Pfizer.

 

 

Na falta deste imunizante, podem ser usadas as vacinas da Janssen ou AstraZeneca independentemente do esquema vacinal primário. Quem tomou o imunizante da Janssen também deve receber mais uma dose. Nesta segunda aplicação, deve ser usada a mesma vacina no intervalo de dois a seis meses depois da primeira dose.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília