Gestores municipais de São Luiz, Maranhão, alinham ações contra as Drogas

Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, gestores municipais e representantes do Judiciário e da sociedade civil buscam unificar trabalhos voltados aos dependentes químicos.

audio/mpeg 21-06-19 - Cidadania discute nova política sobre drogas no Maranhão.mp3 — 3162 KB

Duração: 2M14S




Transcrição

A Nova Política Sobre Drogas lançada pelo governo federal foi tema de evento promovido nesta quarta-feira pelo Ministério Público em São Luís, no Maranhão. O secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Júnior,  reuniu-se com gestores municipais e do governo estadual, representantes do Judiciário e da sociedade civil para alinhar as ações executadas por todas as esferas.

Em abril, o presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou o decreto que institui a nova Política Nacional sobre Drogas. A legislação passou a ser desenvolvida em conjunto pelos ministérios da Cidadania; da Saúde; da Justiça e Segurança Pública, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A pasta da Cidadania ficou responsável pelo tratamento de dependentes químicos com foco na estratégia da abstinência dos usuários.

Segundo Quirino Cordeiro, é fundamental intensificar os trabalhos e as discussões nos estados e municípios para unificar os trabalhos voltados aos dependentes químicos.

SONORA SECRETÁRIO QUIRINO CORDEIRO

4’46 – 5’39 - “É importante intensificar os trabalhos nos territórios para que as ações do Ministério da Cidadania realmente cheguem nas pessoas que precisam. Ter essa oportunidade de neste evento discutir ações focadas nas diferentes áreas da política sobre drogas, de prevenção, de cuidados, de reinserção social, com o intuito de evitar que as pessoas iniciem o uso das drogas e (...) organizar estratégias para os cuidados em reinserção social. 

LOC: O Ministério da Cidadania já ampliou a quantidade de vagas financiadas pelo governo federal para tratar dependentes químicos em todo o país. Em março, 216 novos contratos com comunidades terapêuticas foram assinados, possibilitando o atendimento a 10,8 mil pessoas. No Maranhão, 10 comunidades terapêuticas recebem recursos do governo federal para o atendimento a 252 dependentes químicos.

No início de junho, o Sistema Nacional de Políticas Públicas Sobre Drogas, o Sisnad, foi alterado após aprovação no Congresso Nacional. Entre as principais modificações, a lei prevê a internação involuntária de usuários de drogas, reforça o trabalho executado pelas comunidades terapêuticas e amplia a pena imposta a traficantes.

 Reportagem: Henrique Jasper