Governo sul-mato-grossense transfere recursos do Pnae à escolas

Desde março de 2020, ao invés de as merendeiras prepararem as refeições nas escolas, passaram a montar os kits com os gêneros alimentícios adquiridos, para serem entregues aos alunos.

audio/mpeg 22-07-21 - É NOTÍCIA - ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - 1m21s - FINALIZADO.mp3 — 1924 KB

Duração: 1min21seg




Transcrição

Localidades que ainda estão sem aulas presenciais continuam recebendo  produtos da alimentação escolar oferecidos diretamente aos estudantes das redes públicas


No Estado de Mato Grosso do Sul a oferta de kits segue normalmente para todos os alunos de sua rede de ensino.


Desde março de 2020, ao invés de as merendeiras prepararem as refeições nas escolas, passaram a montar os kits com os gêneros alimentícios adquiridos, para serem entregues aos alunos.


O governo sul-mato-grossense transfere os recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) diretamente às escolas. As instituições então trabalham para organizar e distribuir os kits aos mais de 230 mil alunos da rede estadual de ensino.


Os pais ou responsáveis retiram o kit na escola onde o aluno está matriculado.


A composição de cada kit depende do cardápio planejado por escola, considerando as especificidades locais, bem como a produção da agricultura familiar no período.


Entretanto, a maioria é composta por arroz, feijão, macarrão, leite, biscoito, extrato de tomate, farinha de mandioca, fubá, ovos, pão, óleo, sal, açúcar, farinha de trigo, verduras, legumes e frutas variados.


Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santafé