Grupo móvel de fiscalização resgata 11 trabalhadores em Mato Grosso

Eles eram submetidos a condições degradantes de trabalho e de alojamento, além de jornadas exaustivas. Os empregadores foram autuados e pagaram as verbas salariais e rescisórias devidas.

audio/mpeg 22-09-21 - DILSON - E NOTICIA - TRABALHADORES RESGATADOS.mp3 — 2179 KB

Duração: 1m09s




Transcrição

Em ação realizada de 8 a 16 de setembro, o Grupo Especial de Fiscalização Móvel de Combate ao Trabalho Escravo resgatou 11 trabalhadores que eram mantidos em condições análogas às de escravo em duas fazendas localizadas nas cidades de Itaúba e Guarantã do Norte, em Mato Grosso.

O grupo de fiscalização é ligado à Subsecretaria de Inspeção do Trabalho, do Ministério do Trabalho. A ação foi acompanhada pelo Ministério Público do Trabalho e pela Polícia Federal.

Em Itaúba, os cinco trabalhadores resgatados estavam envolvidos na catação de raízes, para preparar o solo para o plantio de soja. Eles vinham do município de Lago da Pedra, no Maranhão, e eram submetidos a condições degradantes de trabalho e de alojamento e a jornadas exaustivas, de mais de 14 horas por dia.

Em Guarantã do Norte, os auditores-fiscais encontraram seis trabalhadores alojados em um curral, convivendo com fezes de animais. Eles foram levados ao município para construir um silo de armazenamento de grãos.

Os empregadores foram autuados e pagaram as verbas salariais e rescisórias devidas aos trabalhadores. Os trabalhadores também terão direito ao seguro-desemprego.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé