Polícia Federal desarticula grupo criminoso que fraudava INSS

INSS sofreu um desfalque de cerca de 3,2 milhões

audio/mpeg 22-10-19 - AMERICA - OPERAÇAO POLICIAL ACINTE - VAL 22-10.mp3 — 1453 KB

Duração: 1m32s




Transcrição

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira 22/10, a Operação Policial “ACINTE” para combater esquema de fraudes na obtenção de benefícios previdenciários.

 

Trata-se de mais uma ação da Força Tarefa Previdenciária em Minas Gerais, liderada pela Polícia Federal, e também integrada pela Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista.

 

Trinta e oito policiais federais cumpriram dois mandados de prisão preventiva, três mandados de prisão temporária e nove mandados de busca e apreensão nas cidades mineiras de Betim, Contagem e Juatuba.

 

A fraude consistia na criação de “beneficiários” a partir da confecção de cédulas de identidade, certidões de nascimento e comprovantes de endereço falsos.

 

Somente com os processos previdenciários já identificados, o INSS sofreu um desfalque de cerca de 3 milhões e 200 mil reais em pagamentos já realizados, mas esse valor poderia chegar a mais de 13 milhões de reais, prejuízo evitado com a deflagração da operação de hoje.

 

Todos os investigados vão responder pelos crimes de formação de quadrilha e de estelionato qualificado, podendo ser condenados a até seis anos e meio de prisão por cada fraude comprovada contra o INSS; além de até três anos pelo crime de associação criminosa.