Atlas de saneamento básico é lançado pelo IBGE

Obra faz leitura territorial dos dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2017 e outras fontes, e mostra que o saneamento básico melhorou em todas as regiões do país, mas diferenças regionais ainda são grandes.

audio/mpeg 24-11-21- E NOTICIA - DILSON SANTA FE - SANEAMENTO BASICO.mp3 — 2655 KB

Duração: 1:25s




Transcrição

O IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, lançou nesta quarta-feira (24), o Atlas de Saneamento - Abastecimento de Água e Esgoto Sanitário que dimensiona os impactos de um saneamento ambiental desigual e ainda não universalizado no país.

De acordo com o Atlas, apesar dos avanços no controle das Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado (DRSAI), elas ainda foram responsáveis por cerca de 0,9% de todos os óbitos ocorridos no Brasil entre 2008 e 2019.

Entre as mortes ocorridas apenas por doenças infecciosas e parasitárias no Brasil, as DRSAI têm participação em 21,7% dos óbitos no mesmo período, sendo esse percentual maior nas Regiões Centro-Oeste (42,9%) e Nordeste (27,1%).

Apenas São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal apresentaram taxas superiores a 85% de domicílios atendidos pelo serviço de coleta de esgoto.
A Obra faz leitura territorial dos dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2017 e outras fontes, e mostra que o saneamento básico melhorou em todas as regiões do país, mas diferenças regionais ainda são grandes.

 

Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé