Governo destaca ações nas áreas ambiental, digital e de infraestrutura

Ao completar 1.000 dias, o governo federal apresentou as principais entregas nas áreas ambiental, como a redução de incêndios florestais e o Lixão Zero; e ainda os quase R$ 74 bilhões arrecadados em investimentos de parceria com a iniciativa privada; além da conectividade, que vem permitindo acesso à internet a todas as regiões do país.

audio/mpeg 27-09-21 - É NOTÍCIA - DILSON - 1000 DIAS DE GOVERNO - MEIO AMBIENTE - INFRA - AREA DIGITAL.mp3 — 1933 KB

Duração: 2m04s




Transcrição

Nesta semana, o governo completa 1.000 dias e faz um balanço das principais entregas à população.

No meio ambiente, o combate a incêndios florestais foi prioridade nos 11 estados dos biomas da Amazônia, Cerrado e Pantanal. A Operação Guardiões do Bioma combateu mais de 8,2 mil incêndios florestais até o mês de setembro.

E o Programa Lixão Zero contribuiu para desativar mais de 620 lixões e bater recorde na reciclagem de latas de alumínio.

Em infraestrutura, com a transferência de 74 ativos à iniciativa privada - entre concessões, renovações, arrendamentos, investimento cruzado e cessões onerosas - os investimentos contratados somam R$ 73 bilhões e 95 milhões.

Desde 2019, foram entregues mais de 450 obras de saneamento em todo o país.

O investimento em educação também foi foco do governo federal nesses 1.000 dias. No período, foram entregues cerca de 2.525 obras escolares em todos os estados. E foram implantadas quase 130 escolas cívico-militares.

Por meio do Programa Caminho da Escola, foram entregues cerca de 5 mil e 900 ônibus escolares fabricados especialmente para o tráfego em regiões rurais e ribeirinhas.

A conectividade do país também foi prioridade. Desde janeiro de 2019, foram instalados 14 mil e 400 pontos do Programa Wi-Fi Brasil, sendo que mais de 80% das conexões instaladas estão nas Regiões Norte e Nordeste.

E, ainda na área digital, o balanço é de mais de 3 mil serviços públicos digitalizados, com vários documentos sendo acessados pelo celular de forma rápida, como a carteira de motorista e a de trabalho. Também foi facilitado o acesso a serviços do INSS. Outra entrega foi a criação do pix, pelo Banco Central, que agilizou as transferências bancárias, trazendo também economia.


Da Rede Nacional de Rádio, em Brasília, Dilson Santa Fé