Justiça bloqueia R$3 milhões de ex-prefeitos por mau uso de verbas para Educação

Os recursos públicos deveriam ter sido investidos na construção de escolas e em ações para a educação de jovens e adultos.

audio/mpeg 27-11-20 - É NOTÍCIA - AGU EX-PREFEITOS IMPROBIDADE - 1m30 - LUCIANO.mp3 — 1267 KB

Duração: 1m30s




Transcrição

AGU consegue bloqueio de R$3 milhões de ex-prefeitos acusados por mau uso de verbas para a Educação.

 

Os recursos públicos deveriam ter sido investidos na construção de escolas e em ações para a educação de jovens e adultos.

 

As três ações de improbidade administrativa movidas pela Advocacia-Geral da União garantiram o bloqueio liminar em bens para recuperação dos prejuízos aos cofres públicos.

 

No município de Rafael Fernandes, no Rio Grande do Norte, o antigo prefeito recebeu cerca de R$1 milhão para construir uma escola infantil, entre 2009 e 2016, mas não prestou contas do dinheiro recebido e deixou a obra inacabada.

 

No município de Telha, em Sergipe, o ex-prefeito deixou de prestar contas dos quase R$135 mil, repassados por meio do Programa de Apoio ao Sistema de Ensino para Atendimento à Educação de Jovens e Adultos, em 2013.

 

Repasses deste mesmo programa também são questionados na ação de improbidade ajuizada contra o ex-prefeito da cidade de Itabaiana, na Paraíba que, em 2016, recebeu do programa um montante superior a R$106 mil. Saiba mais acessando www.agu.gov.br.

 

Da Rede Nacional de Rádio em Brasília, Luciano Barroso.