Brasil tem 30 mil perfis genéticos de criminosos registrados

Com a ampliação do Banco Nacional de Perfis Genéticos prevista no Projeto de Lei Anticrime, a ideia é que todos os condenados por crimes praticados com intenção tenham o DNA extraído

audio/mpeg 28-02-19 - ROSAMELIA DE ABREU - BANCOS DE PERFIL GENETICO VAL 03-03.mp3 — 2027 KB

Duração: 1m04s




Transcrição

Uma das principais medidas do projeto de Lei Anticrime é a ampliação do cadastro de registros biológicos do Banco Nacional de Perfis Genéticos.

Com a aprovação do projeto, não será mais necessário esperar todas as etapas de recursos do julgamento para colher o DNA do condenado.

Assim, o número de pessoas inseridas no banco de dados será maior, possibilitando, assim,  elucidação de mais crimes e com mais facilidade. Nesse sentido, as forças de segurança pública contarão com mais um instrumento de investigação.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, informou que o Brasil tem cerca de 30 mil perfis genéticos registrados. O ministro afirmou que vai trabalhar para que em 2022 tenhamos todos os condenados por crimes praticados com intenção com perfil genético extraído.