Em 6 de abril de 1991, Maradona foi suspenso pela Fifa

O argentino foi condenado a ficar longe dos gramados por 15 meses. Motivo: uso de cocaína.

audio/mpeg 06-04-2021 História Hoje - Diego Maradona-.mp3 — 2165 KB

Duração: 2m18s




Transcrição

Um craque fora de campo. Motivo: uso de cocaína. Em 6 de abril de 1991, a Federação Internacional de Futebol suspendeu pela primeira vez o jogador  Diego Maradona. O argentino foi condenado a ficar longe dos gramados por 15 meses.

Maradona estava no auge da carreira. Tinha sido o grande protagonista da Copa do Mundo de 1986. Naquele ano, a Argentina conquistou o título, vencendo a Alemanha.  E ainda foi até a final do mundial de 1990, quando foi vice-campeã.

Em 17 de março de 1991, jogando pelo Napoli contra o Bari foi sorteado para o teste antidoping depois da partida. O resultado, divulgado cerca de dez dias depois, acusou a presença de cocaína.

A Comissão Disciplinar da Liga Italiana decidiu suspender Maradona e foi seguida pela Fifa. Diante disso, o advogado do jogador recorreu mas sem sucesso. Em abril daquele mesmo ano, um recurso também foi negado. O caso colocou um ponto final na passagem do ídolo argentino pelo clube italiano.

Foram sete anos no Napoli com direito a vitórias importantes que só aumentaram a fama do craque. Venceu dois campeonatos italianos, uma Copa Itália, uma Supercopa da Itália e uma Copa da UEFA. 

Maradona já havia confessado que usava drogas desde 1982. Em sua autobiografia,  afirmou que estava limpo naquela ocasião e que seria perseguição porque a Argentina havia vencido a Itália na semifinal da Copa de noventa.

Depois de cumprir a punição, Maradona voltou aos campos defendendo o Sevilla, da Espanha. Menos de dois anos depois, em julho de 1994, passou por mais um episódio conturbado. O jogador foi retirado da Copa do Mundo depois de testar positivo para efedrina, um estimulante proibido pela Fifa.