18/12 – HOMEM DE PILTDOWN, FÓSSIL QUE SERIA ELO ENTRE O HOMEM E O MACACO, ERA APRESENTADO À COMUNIDADE CIENTÍFICA

Fragmentos de crânio e uma mandíbula encontrados na Inglaterra foram apresentados como prova da teoria da evolução em 18 de dezembro de 1912, na Sociedade Geológica de Londres. Mas tudo não passava de uma grande fraude que só foi revelada quatro décadas depois. O arqueólogo amador Charles Dawson afirmou ter achado fósseis que seriam o elo entre o homem e o macaco. Com a ajuda do paleontólogo do Departamento de Geologia do Museu Britânico, Arthur Woodward, foi realizada uma reconstrução do que seria a cabeça do ancestral do ser humano, com cerca de 500 mil anos. A hipótese da existência do Homem de Piltdown convenceu a comunidade científica da época. E foi só em 1953 que tudo foi definitivamente desmascarado, quando um artigo científico expôs que o Homem de Piltdown era, na verdade, uma falsificação. A mandíbula tinha cerca de 100 anos apenas. Os pesquisadores identificaram que foi usado produto químico para dar uma aparência de fragmento antigo. Além disso, o crânio mais espesso e mais duro vinha de uma pessoa com alguma patologia. Os dentes foram desgastados e implantados na mandíbula para simular a dentição humana. Quando tudo isso foi comprovado, os responsáveis pela divulgação dos fósseis não estavam mais vivos.

audio/mpeg 18-12-20 - Historia Hoje - Piltdown Man.mp3 — 2189 KB

Duração: 2m20s