IBGE mostra em estudo espécies da fauna e da flora sob ameaça

O Brasil tem a maior biodiversidade do mundo. Mas em 2014, pelo menos 3.299 espécies de animais e plantas nativas do país estavam ameaçadas de extinção. Os dados são do estudo Contas de Ecossistemas - Espécies Ameaçadas de Extinção no Brasil.

audio/mpeg 31-05-21 - MINUTO IBGE - ESPECIES AMEAÇADAS.mp3 — 2811 KB

Duração: 2m




Transcrição

O Brasil tem a maior biodiversidade do mundo. Mas em 2014, pelo menos 3.299 espécies de animais e plantas nativas do país estavam ameaçadas de extinção. Mas quais os critérios para considerarmos um animal ou planta sob ameaça? Quem explica é o gerente de recursos naturais do IBGE e coordenador técnico da pesquisa, Leonardo Bergamini.

Segundo ele, “a metodologia de avaliação para o risco de extinção das espécies tem nove categorias. Dessas, três são consideradas ameaçadas: as categorias vulnerável, em perigo e criticamente em perigo. Essa avaliação é feita com várias informações, baseada em cinco critérios. Cada critério tem limiares próprios para enquadrar a espécie em alguma das categorias. Um dos critérios é a diminuição da população dessa espécie. Se a espécie perdeu entre 50 e 69% dos indivíduos num determinado período, ela é enquadrada como vulnerável. De 70 até um outro limiar, em perigo. E assim por diante."

Segundo o IBGE, a Mata Atlântica é o ecossistema com maior número de espécies ameaçadas: 1.989. Em seguida, vêm o Cerrado e a Caatinga.

Pelo menos dez animais da fauna brasileira já foram extintos. Entre eles, estão a arara-azul pequena, o rato de noronha e o tubarão-lagarto. Já o pássaro mutum do nordeste só é encontrado em cativeiro e depende de programas de reprodução para continuar existindo.

Os dados são do estudo Contas de Ecossistemas - Espécies Ameaçadas de Extinção no Brasil, referentes ao ano de 2014.