Pesquisa mostra que vegetais comercializados no Brasil são seguros para consumo

O Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Vegetal (PNCRC/Vegetal) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento realizado entre 2015 e 2018, divulgado nesta segunda-feira (16) mostrou que 92% das amostras analisadas são seguras para consumo. O PNCRC monitora tanto resíduos de defensivos agrícolas como de contaminantes químicos (exemplo: arsênio e cádmio) e biológicos (exemplo: micotoxinas e Salmonella) em produtos de origem vegetal. São analisadas amostras de produtos nacionais e importados. Desse valor, 53% não apresentaram nenhum resíduo e contaminante e outros 39% das amostras apresentaram valores abaixo do Limite Máximo de Resíduos (LMR) estabelecido no Brasil. O levantamento foi realizado pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (DIPOV), da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa. O maior número de amostras analisadas pelo PNCRC foi direcionado para o monitoramento de ocorrência de resíduos de defensivos agrícolas, pois os contaminantes químicos e biológicos são detectados em menor número de produtos de origem vegetal e, portanto, em menor frequência. O diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal, Glauco Bertoldo explicou que a identificação do uso de um defensivo agrícola não permitido para cultura não significa necessariamente risco para saúde dos consumidores. Na análise exclusiva para presença de resíduos de pesticidas, o resultado do período é de 89% de conformidade. Em 2018, chegou a 92% de conformidade. Foram analisadas 4.828 amostras de 42 alimentos coletados para análises laboratoriais realizadas pelos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDA). As amostras coletadas são obtidas em centrais de abastecimentos, estabelecimentos beneficiadores e propriedades rurais.

audio/mpeg 16-12-2019 MOMENTO AGRO Plano de Controle de Resíduos 02M51s FINALIZADO.mp3 — 2673 KB

Duração: 02'51"