Preço da batata já dá sinais de queda nos mercados atacadistas brasileiros

2º Boletim Prohort 2021, divulgado nesta quinta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento, da Conab, informa que os preços do tubérculo praticados em janeiro registraram ligeira queda nas centrais de Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

audio/mpeg 25-02-21 - MOMENTO AGRO - QUEDA PREÇO BATATA - 3m52s.mp3 — 3356 KB

Duração: 3m52s




Transcrição

A boa notícia que chega na mesa do brasileiro vem do preço da batata, que iniciou tendência de queda nos principais mercados atacadistas do país. De acordo com o 2º Boletim Prohort 2021, divulgado nesta quinta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab, os preços do tubérculo praticados em janeiro registraram ligeira queda nas centrais de Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

A tendência é que haja uma redução de valores também em fevereiro. Quem explica esse movimento e faz um comparativo com os anos anteriores é a gerente de Estudos do Mercado Hortigranjeiro da Companhia, Joyce Fraga.

Outro produto que teve uma queda na disponibilidade no mercado foi a cebola, o que contribui para explicar a alta nos preços constatada no estudo. Os números mais elevados foram verificados na Central de Abastecimento de Brasília, com aumento aproximado de 44%, chegando ao preço médio de R$2,94 o quilo. Quem analisa o fato é o integrante da Diretoria Técnica-Operacional da Ceasa-DF, João Bosco.

Já com relação às frutas, não ocorreu um movimento uniforme nos preços praticados, com exceção do mamão, que apresentou queda nas cotações em todas as Ceasas pesquisadas, conforme explica o superintendente de Estudos Agroalimentares e da Sociobiodiversidade da Companhia, Marisson Marinho.

No campo das exportações, o ritmo se encontra mais lento neste início de ano, com um volume total de frutas destinado ao mercado externo 5% inferior ao mesmo período do ano passado. Apesar do índice menor, ainda é cedo para analisar o desempenho final das vendas internacionais, conforme analisa o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Sergio De Zen.

Confira mais informações sobre a comercialização das frutas e hortaliças nos principais centros atacadistas do país no boletim divulgado na página da Companhia, em www.conab.gov.br