Nova regulamentação do Ministério da Agricultura deve ampliar exportações de amendoim em 50% dentro de 3 anos

Com a implementação da Instrução Normativa 126, o procedimento de certificação sanitária de amendoim exportado fica mais simples e traz aumento de competitividade na exportação de amendoim para União Europeia.

audio/mpeg 26-03-21 - MOMENTO AGRO - REGULAMENTAÇÃO AMENDOIM.mp3 — 2549 KB

Duração: 2m43s




Transcrição

 Aumento da competitividade na exportação de amendoim para União Europeia e desburocratizar a certificação sanitária do produto exportado é o que vai proporcionar a nova regulamentação publicada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta quinta-feira (25).

A Instrução Normativa nº 126 regulamenta os critérios e procedimentos para a certificação higiênico-sanitária de amendoim exportado.

A implementação da nova regulamentação simplifica a certificação sanitária do produto para empresas com alto nível de conformidade, acima de 90%, bem como traz aumento de competitividade na exportação de amendoim para União Europeia (UE).

Para o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal, Glauco Bertoldo, o atual nível de excelência no comércio internacional de amendoim se deve ao comprometimento e investimento realizado pela indústria exportadora.

Bertoldo explica que a expectativa é de, caso haja oferta do produto, as exportações brasileiras de amendoim se ampliem em 50% nos próximos três anos.

Desde 2015, o Ministério da Agricultura desenvolve um sistema de habilitação de exportadores baseado no monitoramento individualizado dos lotes produzidos e em auditorias anuais nas unidades industriais e armazenadoras de amendoim dispostos a investir em laboratórios, processos internos de controle e beneficiamento do produto.