AnalisaCar vai agilizar verificação do Cadastro Ambiental Rural nos estados

Sistema utiliza tecnologias de sensoriamento remoto e pode processar a análise de milhares de cadastros simultaneamente

audio/mpeg AnalisaCar.mp3 — 3339 KB

Duração: 3m32s




Transcrição

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), lançou nesta quinta-feira (13), o módulo de Análise Dinamizada do CAR. A ferramenta foi desenvolvida pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB), em parceria com a Universidade Federal de Lavras, em conjunto com os estados e vai permitir a análise dos dados declarados no Cadastro Ambiental Rural (CAR) de forma automatizada, por meio de mapeamentos georreferenciados, garantindo agilidade e precisão ao processamento. O AnalisaCAR, que será disponibilizado aos estados para otimizar a verificação dos dados declarados no CAR, utiliza tecnologias de sensoriamento remoto e pode processar a análise de milhares de cadastros simultaneamente. Com a ferramenta, os estados poderão qualificar a base de dados do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), que já conta com mais de 6 milhões de registros. 

A ministra Tereza Cristina lembrou que a implementação efetiva do Código Florestal irá contribuir para que o crescimento da produção agrícola ocorra em sinergia com a conservação ambiental.

O Amapá será o primeiro estado a ter o sistema implantado. O estado já possui os mapeamentos necessários para a implantação e já participou de capacitações sobre como operar a ferramenta. Até o fim do ano, pelo menos dez estados deverão estar utilizando a ferramenta, que será disponibilizada para todo o país em um prazo de dois anos. 

O diretor de Regularização Ambiental do SFB, João Adrien, explicou que a ferramenta é mais uma à disposição dos estados e produtor rural e não substitui a necessidade de análise manual.

A análise dos dados declarados no CAR é fundamental para a implantação efetiva do Código Florestal Brasileiro. Até o momento, com a análise manual feita por equipe técnica, cerca de 3% dos cadastros da base do Sicar passaram por algum tipo de análise. A competência para implantação do Código Florestal é das unidades federativas e cabe ao SFB,  como órgão coordenador da política a nível nacional, dar suporte e buscar meios para dar celeridade a este processo.