Nova Estação Quarentenária reduzirá risco de pragas no país

Foi inaugurada nesta quarta-feira (24) a Estação Quarentenária, localizada na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília. A estação irá analisar qualquer tipo de praga que possa apresentar o risco de entrar no território nacional, como insetos e vírus.

audio/mpeg Estação Quarentenária.mp3 — 3498 KB

Duração: 3m17s




Transcrição

Foi inaugurada nesta quarta-feira (24), em Brasília, a Estação Quarentenária, localizada na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. A estação, composta por laboratórios, irá analisar qualquer tipo de praga que possa apresentar o risco de entrar no território nacional, como insetos, ácaros, fungos, bactérias, nematoides, plantas infestantes e vírus.

A Estação Quarentenária compreende ainda três casas-de-vegetação e 11 laboratórios com mais de 200 equipamentos para análises de pragas. Possui sala-de-caldeiras, incinerador e salas para tratamento fitossanitário, desinfecção e destruição de material quarentenário.

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina participou da inauguração e destacou a importância da pesquisa científica para garantir um diferencial à agropecuária brasileira e evitar que pragas e doenças entrem no nosso território e possam prejudicar as nossas safras.

O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal, ressaltou que a estação permitirá a ampliação das análises de produtos vegetais.

Existem atualmente cerca de 500 pragas quarentenárias oficialmente reconhecidas como ausentes no território brasileiro. A priorização das pragas quarentenárias, feita pelo Ministério, é importante porque permite desenvolver um trabalho mais específico para evitar a sua entrada no Brasil ou na adoção de medidas para sua erradicação e controle, quando já identificada em alguma parte do país.