Saiba como funciona a tarifa branca na conta de luz

A partir de 1º de janeiro, entra em vigor a tarifa branca para os pequenos consumidores de energia elétrica do país. O sistema já funciona desde 2018 para grandes consumidores, que gastam mais de 500 quilowatts por hora. Mas você sabe como utilizar a tarifa branca? E como ela pode trazer uma economia real na sua conta de luz? Esse é o tema do Pra Você, Cidadão.

audio/mpeg 30-12-19 - ANA PIMENTA - PVC - TARIFA BRANCA - JM.mp3 — 2869 KB




Transcrição

 

A tarifa branca é um sistema vantajoso para quem gasta menos energia elétrica nos horários de pico. Quem consome menos nesse horário, vai pagar menos na conta de luz.

No fim da tarde e no início da noite, é quando a tarifa fica vermelha, e a energia fica mais cara. Então o consumidor que gasta pouca luz nesse horário vai economizar se adotar a tarifa branca.

Uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta, e no restante do dia, a energia fica mais barata. Vale lembrar que esse horário de ponta varia de estado para estado. No Rio de Janeiro, por exemplo, o consumo é maior das cinco e meia da tarde até as oito e meia da noite.

No Distrito Federal, o horário de pico vai das seis da tarde até as nove da noite.

Em Minas Gerais, vai das cinco da tarde até as oito da noite.

Quem escolher o sistema da tarifa branca, deve comunicar a distribuidora de energia a partir do dia primeiro de janeiro. A concessionária vai instalar um novo aparelho, que consegue medir o consumo de luz em diferentes horários. Isso deve ser feito em até 30 dias.

A Agência Nacional de Energia Elétrica recomenda que os consumidores façam testes para saber como é o perfil de consumo em cada imóvel. Para famílias grandes, onde as pessoas tomam banho em horários diferentes, e nas casas onde muitos aparelhos ficam ligados o dia todo, a tarifa branca não compensa.

No site aneel.gov.br, você encontra informações sobre as faixas de horário mais baratas em cada estado, e também pode fazer simulações de consumo para ver qual  modelo é mais adequado.

Os moradores de residências de baixa renda não podem mudar para a tarifa branca, porque já recebem benefícios para ter a conta de luz mais barata.

 

Ana Pimenta para a Voz do Brasil