Spot Gov Federal - MDR inaugura sistemas de esgotamento sanitário em duas cidades de Minas Gerais

Mais de 48,2 mil pessoas em Matias Cardoso e Bocaiúva serão beneficiadas. Ministro Rogério Marinho participou, nesta sexta-feira, das cerimônias de entrega

audio/mpeg 10-11-20 - SPOT MDR ESGOTAMENTO SANITÁRIO MG.mp3 — 800 KB

Duração: 42s




Transcrição

Mais de 48,2 mil pessoas no interior de Minas Gerais passaram a contar com serviços de esgotamento sanitário. Isso foi possibilitado pela inauguração, nesta sexta-feira (6), das estações de tratamento de esgoto das cidades de Matias Cardoso e Bocaiúva. O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, participou dos atos e destacou a importância da finalização de obras em andamento por todo o País para o benefício da população brasileira.

“Não há tapa maior na cara do pagador de impostos do Brasil do que desperdiçar recursos públicos iniciando uma obra e deixando ela parada no tempo. Esse é um prejuízo para a sociedade, para o País e para as gerações futuras”, destacou Marinho. “Temos um presidente que sempre se preocupou com isso e a orientação que ele tem nos dado é uma só: as obras pertencem ao povo. O esforço que temos que fazer é de terminá-las e entregá-las, para que a população possa ser beneficiada”, reforçou.

Ao todo, o Governo Federal investiu R$ 31,8 milhões nos empreendimentos. As obras foram conduzidas por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), instituição vinculada ao MDR. O diretor-presidente do órgão, Marcelo Moreira, participou das cerimônias de inauguração.

Matias Cardoso

O sistema de esgotamento sanitário de Matias Cardoso recebeu investimentos federais de R$ 16,8 milhões e vai atender 5,9 mil pessoas. Desse total, R$ 9,2 milhões foram dispendidos desde janeiro do ano passado.

O empreendimento compreende infraestrutura de coleta, transporte, tratamento e destinação de 100% dos efluentes tratados. Nesse escopo, estão incluídas uma estação de tratamento de esgoto, duas estações elevatórias de resíduos, 21,9 quilômetros de rede coletora e 1,1 mil ligações prediais.

Além disso, o sistema de esgotamento sanitário contribuirá para a revitalização da Bacia do Rio São Francisco. A partir do tratamento dos resíduos, será evitada a contaminação dos solos e dos recursos hídricos subterrâneos e superficiais da região. Também será possível evitar uma série de doenças transmitidas pela água e a eliminação do uso de fossas sépticas implantadas na maioria das residências de Matias Cardoso.

Bocaiúva

Em Bocaiúva, a infraestrutura vai atender 42,2 mil habitantes e conta com uma estação de tratamento de esgoto, 27,1 quilômetros de rede coletora, 954 ligações prediais, 2,9 quilômetros de rede interceptora, quatro estações elevatórias de esgoto, 343 metros de linha de recalque e 396 metros de emissário. O aporte do Governo federal foi de R$ 15 milhões, sendo que R$ 483,4 mil foram destinados desde o ano passado.

Todo o esgoto doméstico gerado no município poderá ser tratado, o que evitará a contaminação dos solos em pontos onde havia despejo de esgoto in natura. É esperado que a obra também proporcione a melhoria da qualidade das águas do Córrego Angicos e do Rio Guvinipã, que anteriormente recebiam a maior parte do esgoto bruto da cidade.